Deus ouve uma criança perdida na escuridão e sob o “tronar” da Poporoca no Rio Amazonas

luzeiro

Certa noite estavamos próximo a foz do Rio Amazonas bem no meio do rio quando a lancha em que morávamos, a Luzeiro VI, encalhou e começou a se inclinar perigosamente, estava muito escuro, dava para ouvir ao longe o barulho da pororoca se aproximando, o barco se inclinou muito e andavamos pela parede da lancha, a água começava entrar e no meio a escuridão começamos a gritar por socorro, o barulho da pororoca era cada minuto mais assustador, meu Pai gritou muito e depois eu peguei o microfone e começei a gritar por socorro e a orar a procura de um milagre!

A grande onda da pororoca encontraria a lancha inclinada e alagaria facilmente os compartimentos do barco e quando a mare subisse ficaria no fundo! A minha vida estava toda diante de mim, o desespero também, olhava as estrelas e gritava por socorro, acho que tinha uns 8 ou 9 nos anos. Quando ja estava sem voz, meu pai, minha mãe e meu irmão menor silenciaram com o barulho da pororoca!

 pororoca

Olhavamos com o olhar perdido na imensidão da noite no rio, quando uma pequena canoa apareceu das trevas da noite, nela vinham 4 homens e muitas estacas. Um dos homens nos colocou na canoa, a mim, meu irmão e minha mãe e cruzamos o rio na minúscula canoa. Ao chegar lá na casa deles uma mulher  disse que ouviu vozes de criança chorando… parecia impossível com tanto barulho e tão distante ela ouvir as vozes. Aqueles homens estavam se preparando para remar no outro sentido para ir ate a uma festa eles podiam perfeitamente ouvir o barulho da fasta ecoando pela escuridão, mas aquela mulher ouviu uma criança chorando, eles tentaram convencê-la que ela estava enganada mas a intuição e a firmeza dela foi tão forte que eles abortaram a ida ate a festa e providencialmente levaram as estacas, como se adivinhando o ocorrido.

A pororoca chegou em seguida, mas a lancha devidamente escorada com as estacas consegiu flutuar e logo atracou próximo daquela casa perdida na floresta amazônica, as margens do grande Rio Amazonas.

Você querido(a) amigo(a) pode estar atravessando a eminência de um naufrágio, a escuridão encobrir tua visão e tua voz ecoar sem resposta no vazio. Nesse momento você clama a Deus e sente um enorme vazio, sente apenas o coração congelar de pânico no peito, nenhuma luz, so o ruido do mundo desabar ao teu redor…  Neste momento continue olhando fixamente pra o céu! ELe ja providenciou o teu livramento! Confie NEle a resposta ja esta a caminho… abra o coração e receba o socorro de Deus!

Acredito que foi um milagre!!! e você, acredita?

pororoca 2

Uma força Invisível me tocou!

praia 1

Uma das praias fluviais mais lindas do Brasil está em Alter-do-Chão, próximo a Santarém, Pará. Um de meus maiores przeres aos 12 anos era correr por horas nas praias e era exatamente isso que estava fazendo num domingo, solitário.

Estava voltando e correndo com água nos tornozelos e o olhar fixo ora na floresta ora no majestoso Rio Tapajós. Corria velozmente e sentia meus pés afundarem nas aguas cristalinas foi quando sentí uma força me tocar nos ombros, olhei estarrecido e não vendo nada parei de súbito, olhei em volta e a praia estava deserta, olhei para baixo e vi a centímetros dos meus pés uma imensa arraia afastar-se. mais um passo e… sentí minha visão escurecer no pânico.

arraia

O que aconteceria com um garoto de 12 anos se fosse picado pela arraia, numa praia deserta quem sabe seria encontrado depois de semanas… O bom Deus sabia de tudo isso e mandou algo tocar em mim! Amigo(a), você acredita em anjos?

praia 2

Os olhos de Deus estão em toda parte!

fenda 

Tinha não mais do que 8 anos, durante as férias morava na lancha Luzeiro VI e eventualmente fazia pequenas viagens em roteiros próximos a base que era em Belém do Pará. Essas pequenas expedições me fascinavam porque permitiam explorar tudo em volta enquanto meu pai atendia aos ribeirinhos e minha mãe preparava lanches apetitosos.

Estava descendo exatamente esta rampa da foto, a foto foi tirada em outra ocasião, durante um batismo. Mas coloquei ai para marcar com exatidão o lugar em que ocorreu o fato. Estava sozinho, isso não era incomum… e descia a rampa que era itilizada para içar pequenas canoas para reparou ou descarregar mercadorias, ela não era muito larga, não costumava passar de 2 metros, mas se extendia até a base que era junto ao solo.

Quando a água estava pela minha cintura, a táboa sob meus pés se partiu e eu desci exatamente pela falha desta e fiquei “incrustado” com os pes atolados no lodo e sob a cabeça a rampa, a agua completamente barenta não me permitia ver nada, então tateei acima procurando o vazio entre as tábuas mas estava tão atolado no lodo que não conseguia me deslocar…

Um rapaz estava passando ao longe e viu o exato momento em que desapareci sob as águas do Rio Amazonas, ele aguardou um tempo e como não vinha à tona ele tirou sua calça e camisa de gala (ele estava, segundo me contou, indo ao encontro da namorada) e pulou na água e mergulhou procurando a falha da tábua partida.

Quando eu me sentia enterrado vivo, sentí uma mão puxar meu braço e com muito esforço passei pela fenda de volta à superfície!

Amigos,  essa foto poderia marcar o lugar de minha sepultura… mas os olhos de Deus estão em toda parte, Ele sabe onde você está e Sua mão pode alcançá-lo! Permita que Ele te resgate!

Quando é impossível voltar e a salvação pode estar no alto!

Piedra del Águila era um pequeno povoado (1986) num território geológico interessante na Argentina. Pedi a meu pai um dia de folga para escalar um paredão, sem equipamentos e sozinho… alguns minutos depois resolvi desistir e retornar, olhei para baixo mas voltar, poderia me custaria a vida, ensaiei voltar mas me feri ao resvalar, não havia percebido quão íngreme era, então só me restava um caminho… SUBIR e arriscar no topo achar outra rota para descer. Foram um par de horas me espremendo entre a fenda nas rochas ate o topo.

A aflição que tive durante a escalada, jamais me esquecerei. Amigo(a), quando não for possível mais voltar atrás, a solução pode ser SUBIR, a salvação vem de cima. Suba… Conquiste as alturas!!! ,

Este não foi um milagre, foi algo comum, mas para um adolescente afoito foi uma boa lição! Agora, escalar o mirante ficou muito mais fácil….

piedraMapa

Bebê é salvo do fogo no barco

 India

Uma pequena embarcação chamada Luzeiro I, navegava no Rio Amazonas nas proximidades de Parintins, o rio era tão largo que nem se podia avistar as margens de ambos os lados. Um curto-circuito elétrico deu início a um incêndio no compartimento do motor.

A tripulação era de um jovem casal de enfermeiros missionários da Igreja Adventista do Sétimo Dia, ele se chamava Carlos Victor Boock e ela Ana Maria Maly de Boock, uma índia e um bebê recém-nascido. A ordem foi dada para a índia Jací… ela deveria nadar com o bebê e cuidar dele ja que o casal não sabia nadar e não poderiam ficar para se afogar com o bebê! Ela foi para a proa do barco com o bebê nos braços aguardando o momento de pular na água. Mas num impulso o jovem enfermeiro decide entrar na sala de maquinas e com suas mãos arrancar os fios que alimenava as chamas e apagou o fogo com baldes de água que alçançava pela janela lateral. O barco ficou a deriva, mas sem afundar. Aquele bebê era eu em umas das primeiras aventuras na vida! O destino das pessoas pode ser mudado em um segundo!

Querido(a) amigo(a), estará você passando por uma experiência dramática neste momento e não vislumbra salvação? Você ja mentalizou todas as possibilidades e percebe que nenhuma delas é viável? Ficará você estático enquando as labaredas das dificuldades devoram os teus sonhos mais lindos? Você pode ser devorado pelas chamas ou tornar-se um herói, a decisão e tua! Deus estará contigo, creia!

Luzeiros

Luzeiro I a direita e Luzeiro II a esquerda. As Luzeiros eram uma frota de lanchas em que missionários da Igreja Adventista do Sétimo Dia, normalmente estrangeiros com conhecimento básico em enfermagem e outros e atendiam os ribeirinhos durante o dia e a noite pregavam o evangelho ensinando as pessoas princípios morais e éticos elevados.

Milagres em Minha Vida, apresentação.

montanha 

Neste Natal o meu presente é estar vivo, minha vida é uma sucessão de livramentos desde os primeiros dias de vida, nasci e passei a primeira infância morando nas lanchas luzeiro, meu pai um enfermeiro missionário argentino e minha mae fisioterapeuta uruguaia atendiam aos índios e aos caboclos na amazônia. Eles não estão mais comigo pois dormem o sono dos justos e aguardam a volta de Cristo.

Do nascimento ate a minha recente luta contra o câncer foram dezenas de episódios que vou relatar como forma de mostrar que para Deus nada é impossível e Ele pelo seu infinito amor escreve novos capítulos em nossa vida quando decidimos andar com Ele e fazer parte do Seu plano. A vida é uma grande aventura. Na foto ilustrativa estou na montanha La Hoja em Esquel, Argentina. Meu desejo é que de alguma forma ao ler os relatos você experimente um real relacionamento com Deus e experimente viver os milagres que Deus quer operar em tua vida.