Croácia: Parlamento limita atividades de compras aos domingos

Governo decide em favor da Igreja Católica; isenção para serviços de ônibus e postos de gasolina

 

O parlamento croata determinou em julho que as lojas devem ser fechadas aos domingos, uma iniciativa tomada em deferência a desejos da Igreja Católica Romana. A lei entrará em vigor em 1o. de janeiro de 2009.
 
A Igreja Católica constitui 90 por cento da população religiosa da Croácia, e a Associated Press informa que a Igreja tinha feito sua presença sentida no governo croata com pressão para aprovar a legislação dominical.
 
A lei permite que lojas em estações de trem, de ônibus e postos de gasolina permaneçam abertas aos domingos ao longo do ano. Outros negócios, tais como padarias, bancas de jornais e lojas de flores não estão incluídas na proibição. A lei de restrições de compras aos domingos também deixa de valer durante o verão e os feriados de inverno.
 
Dirigentes adventistas locais expressaram preocupação com a legislação. Sretko Kuburic, secretário para a denominação na região do Adriático, declarou que embora a legislação possa ter conseqüências futuras, a lei não deve ser vista como o fim das liberdades civis. Kuburic também declarou que a Igreja deve continuar a monitorar a situação após a lei entrar em vigor em 2009.
 
A Igreja Adventista tem apoiado a liberdade religiosa ao redor do mundo desde que lançou o que agora se conhece como Associação Internacional de Liberdade Religiosa em 1893. A organização desenvolveu-se no maior fórum mundial para liberdade religiosa.
 
Atualmente há cerca de 3.000 adventistas na Croácia, uma nação de 4,5 milhões de pessoas.

Anúncios

ADRA: Suprimentos e lições de agricultura para diminuir impacto da fome na Índia

1 milhão de pessoas sofrendo por causa da destruição de safra

Trabalhadores descarregam arroz na província indiana de Mizoram. A Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) uniu-se a outras organizações para propiciar um milhão de dólares em ajuda alimentar e educacional após ratos terem destruído a maior parte da produção local de arroz. [photo: courtesy ADRA]

A Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) está respondendo a recente queda na produção de arroz com uma iniciativa para propiciar alimento e educação no estado do nordeste indiano de Mizoram. O projeto de assistência alimentar de emergência, que recebeu o nome de MIZOFAM, terá duração de 11 meses, dando assistência a 25.000 pessoas. “O projeto MIZOFAM assegura que a comunidade assistida terá mais resistência a quedas de produção alimentar no futuro”, declarou Paulo Lopes, diretor para a ADRA na Índia.
 
Cerca de 1 milhão de pessoas tem defrontado fome após uma praga de ratos ter destruído a safra de arroz da região. O fenômeno, conhecido na língua local como “mautam”, ou morte de bambu, ocorre cada 48 anos. O florescimento e posterior morte de grandes quantidades de bambu provocam uma invasão de ratos que se alimentam das flores e sementes de bambu. Este ano, o súbito aumento na população de ratos resultou em danos a mais de 90 por cento dos canteiros de arroz e outras safras na região de Mizoram.
 
O projeto MIZOFAM tem um custo de 1.171.200 dólares e é financiado pelo Escritório de Ajuda Humanitária da Comissão Européia (ECHO) através da ADRA da Alemanha. Juntas, as organizações fizeram parceria com o governo de Mizoram para conduzir treinamento em preparo e resposta a desastres. A iniciativa terá lugar durante seis dias de festivais comunitários em seis diferentes locais, cada um destacando discussões sobre redução a risco de desastre.
 
MIZOFAM, que incentiva o envolvimento de membros da comunidade e Comissões de Desastres das Aldeias (VDC) também propicia materiais educacionais para cada aldeia.
 
Para ajudar os fazendeiros e suas famílias em meio à crise alimentar, a ADRA fez parceria com VDC’s, distribuindo alimento e sementes a 45 aldeias e propiciando treinamento sobre métodos eficazes de plantio. Um pagamento por trabalho está disponível a moradores das aldeias que participem na implementação do projeto.
 
Para maiores informações visite  adra.org.

Romênia: Primeira reunião oficial de ciganos adventistas edifica comunidade

Reuniões abordam problemas, desafios do grupo nômade

 

Um coral de ciganos apresenta-se durante um serviço de culto no Congresso Nacional de Ciganos Adventistas, realizado em 29 a 31 de agosto perto de Bucareste, Romênia. O congresso teve participação de 800 pessoas para o culto do sábado. [foto de cortesia da EUD]

Centenas de participantes reuniram-se para o Primeiro Congresso de Ciganos Adventistas na Romênia, uma reunião que os organizadores esperam que crie um senso de unidade no grupo étnico espalhado e fomente entendimento entre adventistas ciganos e não-ciganos.
 
O congresso, que ocorreu entre 29 a 31 de agosto, visava a alcançar de 3.000 a 4.000 ciganos adventistas na Europa. Os ciganos enfrentam arraigado preconceito da parte de não-ciganos europeus, acompanhados de acusações de pequenos roubos a assassinato.
 
“O evento foi de grande benefício para a comunidade cigana adventista, mas também para a Igreja na Romênia”, declarou Cristian Modan, diretor de ministérios para a Igreja na região Euro-Ásia. “Concedeu à Igreja [européia] um lampejo do que Cristo tem feito nas vidas de tantas pessoas, de uma comunidade na Europa que é o primeiro grupo a sofrer discriminação”.
 
Cerca de 800 pessoas assistiram aos cultos do sábado. As reuniões cobriram tópicos que giram em torno das necessidades dos ciganos, incluindo formas de enfrentar as tensões entre a cultura tradicional e o cristianismo, além de assuntos de saúde e família.
 
Os ciganos são nômades e viajam através da Europa, sobretudo na Itália, Espanha, Romênia, Hungria e Bulgária.
 
Os organizadores do congresso disseram que estavam contentes com a freqüência e estão planejando um evento semelhante para 2010.

Fonte: http://www.advir.com.br/news/

Declínio do Mercado não afetará a estratégia de investimento da Igreja Adventista, declaram dirigentes

Oficiais da área de finanças da IASD declaram não estarem no momento considerando uma mudança na estratégia de investimentos à luz do recente declínio econômico, uma ação que dizem ser “prudente”, considerando seu enfoque de longo termo.
 
Em vista de principais bancos de investimentos estarem fechando dada uma crise de crédito global, em grande parte motivada por um declínio no mercado imobiliário dos EUA, oficiais denominacionais planejam continuar considerando uma faixa de 20 a 30 anos de fundos de aposentadoria na administração financeira do setor. O ministério da Igreja e a capacidade de recorrer a novas iniciativas seriam os mais afetados por qualquer diminuição em dízimos e ofertas, declarou Roy Ryan, tesoureiro associado e gerente de investimentos para a Igreja Adventista a nível mundial.
 
“Estamos acompanhando a situação”, disse Ryan. “Embora seja justo dizer que o orçamento sendo preparado para recomendação durante o Concílio Anual no próximo mês não seja agressivo, julgamos que preserva a habilidade da Igreja em avançar com sua missão”.
 
Ele posteriormente contou a cerca de 80 dirigentes da Igreja durante uma reunião regularmente marcada na sede denominacional em 18 de setembro que a economia poderia encontrar-se atravessando “mares nunca dantes navegados”. O governo dos EUA gastou cerca de 600 bilhões nas últimas semanas para fortalecer instituições financeiras.
 
“Um ponto de vista amplamente mantido é de que o mercado imobiliário tem que se estabilizar e isso simplesmente não ocorreu a estas alturas”, disse Ryan aos líderes denominacionais. Até então, disse ele, a Igreja iria continuar sua atual estratégia de investimento.
 
“Cremos que no conjunto, os investimentos da Igreja estão sendo prudentemente feitos”, declarou Ryan.
 
O tesoureiro da Igreja, Robert Lemon, comentou com os dirigentes que julgava que o mercado iria recuperar-se como já se tem dado em situações críticas semelhantes no passado, conquanto não tão rapidamente.
 
“Temo que após essa queda específica — diante de tanta ligação com o setor imobiliário e a disponibilidade de crédito — o mercado demorará mais para voltar ao normal”, disse Lemon.
 
O presidente da Igreja, Jan Paulsen, encorajou os líderes dizendo: “Nenhum de nós é um profeta … mas o Senhor disse, ‘Não vos preocupeis com o dia de amanhã’. Isso para mim é uma declaração fundamental e profunda. Avançaremos em obediência ao Senhor e faremos o melhor que pudermos na nossa missão”, aduziu Paulsen.

Fonte: http://www.advir.com.br/news/

Novo software de comunicação para conectar os membros globalmente

Lançamento completa a transferência de propriedade da netAdventist

 
 

Uma plataforma software de comunicação lançada na sede denominacional dia 2 de setembro ajudará a interligar membros da Igreja globalmente, declarou Dan Houghton, executivo-chefe da rede de comunicação Three Angels Global Networking (TAGnet). Houghton, que começou a desenvolver plataformas de software para a Igreja Adventista em 1994 com a equipe da TAGnet, disse que a netAdventist 3.0 expandirá segundo a tecnologia avance e diferentes necessidades surjam. [photos: Matt Herzel/ANN]

Uma plataforma de comunicação baseada na rede Internet lançada ontem na sede mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia deve ajudar a interligar um número estimado em 16 milhões de membros e assinala o último desenvolvimento no uso de tecnologia global pela denominação.
 
Desenvolvido pela rede Three Angels Global Networking (TAGnet) — um ministério de leigos que apóia a Igreja — o software netAdventist 3.0 combina websites locais com redes vivas de informação e recursos da Igreja global.
 
Um acordo de licença entre a Igreja Adventista e a TAGnet durante uma reunião de negócios da Igreja na última primavera tornou o pacote de software netAdventist disponível a igrejas locais e outras entidades denominacionais a custo zero. Agora, com seu lançamento oficial, a expectativa é de que o software obtenha extenso uso.
 
Durante a cerimônia de lançamento, o oficial executivo-chefe da TAGnet, Dan Houghton, declarou que a  netAdventist “pode ser uma ponte para ajudar levar a Igreja para todo o mundo” e que esperava que o software “se expanda, modifique e opere em formas como somente Deus sabe”.
 
O software, de fácil utilização, é planejado para adaptar-se totalmente às necessidades locais, disse Houghton a um grupo de dirigentes da Igreja e tecnologistas reunidos para o lançamento.
 
“[NetAdventist] torna o ministério online fácil para membros e dirigentes da Igreja”, disse John Beckett, diretor do novo Escritório de Software e Tecnologia. “É desenhado de tal modo que as pessoas possam dar enfoque a compartilhar publicações, sermões e fotos sem se preocupar com os aspectos técnicos de operação de um website”, aduziu Becket, que demonstrou o software durante o lançamento.
 
Tom e Violet Zapara, filantropistas adventista da Califórnia, foram honrados no lançamento pela contribuição que deram à realização da iniciativa de software da Igreja, que começou no princípio dos anos 90. Tom admoestou os líderes da Igreja a não deixarem que o software estagnasse e apelou que se desenvolvesse um sistema de contínuas atualizações. “Quando algo novo surge que pode ajudar a espalhar as boas novas, temos que embarcar nisso”, ele comentou.
 
Lowell Cooper, vice-presidente da Igreja a nível mundial e diretor da comissão que supervisiona o Escritório Global de Tecnologia e Software, declarou que esperava que netAdventist iria “ampliar e estender a capacidade da Igreja apresentar o evangelho ao mundo”.
 
Não somente deve o uso de tecnologia pela Igreja  ser “o melhor no mundo”, declarou Cooper, como deveria ser “o melhor para o mundo”.
 
O presidente mundial da denominação, Pastor Jan Paulsen, que também apresentou considerações durante o lançamento, apresentou agradecimentos à equipe TAGnet e disse que a netAdventist “trata de dois dos valores fundamentais de nossa Igreja: missão e unidade”.
 
Paulsen daí fez referências ao apelo da co-fundadora da Igreja, Ellen G. White, em “introduzir novos métodos [de evangelização]” e “despertar às necessidades dos tempos”. “Bem, netAdventist é verdadeiramente um reconhecimento dos tempos em que estamos vivendo”, acrescentou Paulsen.

Croácia: Parlamento limita atividades de compras aos domingos

Governo decide em favor da Igreja Católica; isenção para serviços de ônibus e postos de gasolina

 

O parlamento croata determinou em julho que as lojas devem ser fechadas aos domingos, uma iniciativa tomada em deferência a desejos da Igreja Católica Romana. A lei entrará em vigor em 1o. de janeiro de 2009.
 
A Igreja Católica constitui 90 por cento da população religiosa da Croácia, e a Associated Press informa que a Igreja tinha feito sua presença sentida no governo croata com pressão para aprovar a legislação dominical.
 
A lei permite que lojas em estações de trem, de ônibus e postos de gasolina permaneçam abertas aos domingos ao longo do ano. Outros negócios, tais como padarias, bancas de jornais e lojas de flores não estão incluídas na proibição. A lei de restrições de compras aos domingos também deixa de valer durante o verão e os feriados de inverno.
 
Dirigentes adventistas locais expressaram preocupação com a legislação. Sretko Kuburic, secretário para a denominação na região do Adriático, declarou que embora a legislação possa ter conseqüências futuras, a lei não deve ser vista como o fim das liberdades civis. Kuburic também declarou que a Igreja deve continuar a monitorar a situação após a lei entrar em vigor em 2009.
 
A Igreja Adventista tem apoiado a liberdade religiosa ao redor do mundo desde que lançou o que agora se conhece como Associação Internacional de Liberdade Religiosa em 1893. A organização desenvolveu-se no maior fórum mundial para liberdade religiosa.
 
Atualmente há cerca de 3.000 adventistas na Croácia, uma nação de 4,5 milhões de pessoas.

Impacto Esperança