Cientistas desenvolvem método para fotografar tosse

tosse1

Técnica permite visualizar fluxo de ar durante o processo.
Método já é usado corriqueiramente para outros fins.

Denise GradyDo ‘New York Times’

No romance “The B.F.G.”, de Roald Dahl, o personagem principal, um gigante amigável, captura sonhos em jarros de vidro. Na Universidade Estadual da Pensilvânia, um professor de engenharia capturou, em filme, algo menos inusitado mas igualmente efêmero – uma tosse.

As imagens, publicadas online em 9 de outubro pelo “New England Journal of Medicine”, foram obtidas pela fotografia schlieren, que “pega um fenômeno invisível e o transforma num quadro visível,” disse o professor, Gary Settles, que é diretor do laboratório de dinâmica de gás da universidade. 

A fotografia schlieren é um processo desenvolvido para visualizar regiões de diferentes densidades num gás ou líquido, fotografados como sombras. 

“Em meu laboratório usamos muito essa técnica”, disse Settles. “Ela é comumente usada para outras coisas, como em túneis de vento supersônicos, para mostrar ondas de choque ao redor de uma aeronave de alta velocidade.” 

O processo envolve uma pequena e brilhante fonte luminosa, lentes precisamente instaladas, um espelho curvo, uma lâmina que bloqueia parte do facho de luz e outras ferramentas que possibilitam ver e fotografar perturbações no ar. No mundo da dinâmica dos gases, uma tosse é meramente “um jato de ar turbulento com mudanças de densidade.” 

Embora a tosse transmita tuberculose, SARS, gripe e outras doenças, ainda se conhece surpreendentemente pouco sobre ela. “Não temos um bom entendimento sobre o fluxo de ar,” afirmou Settles. 

Para mapear uma tosse, ele se juntou a Julian Tang, um especialista em vírus de Cingapura. Um estudante saudável forneceu a tosse. O ar expelido, viajando a 18 milhas por hora, se misturou ao ar mais frio à sua volta e produziu “diferenças de temperatura que curvam os raios de luz em diferentes quantidades,” disse Settles. 

E prosseguiu: “O próximo passo é colocar duas pessoas conversando em frente a um espelho, ou uma tossindo na outra, e ver como o fluxo de ar se move, como as pessoas infectam umas às outras. Ou você analisa como a tosse pode disseminar infecções pelo ar num hospital. Isso é na verdade ma sugestão de como podemos estudar tudo isso. As técnicas utilizadas em túneis de vento podem ser usadas para estudar doenças humanas.”

 

Leia mais notícias de Ciência e Saúde 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: