Brilho UV revela explosão de supernova. Astrônomos detectam luz ultravioleta como prenúncio da morte de estrelas

por JR Minkel

Cortesia de NASA/HST/COSMOS.
Primeiro brilho de uma supernova conhecida. Imagem de baixa resolução (azul), superposta em uma imagem óptica mais nítida da galáxia hospedeira obtida pelo Telescópio Espacial Hubble.

Depois várias supernovas terem sido descobertas, cientistas relataram recentemente na Science que foram detectadas explosões durante várias horas, de radiação na região ultravioleta (UV) do espectro, antes de uma estrela explodir como uma supernova. É possível que esta seja a indicação precursora de que uma supernova está prestes a se formar — um aumento brusco de temperatura enquanto a onda de choque interna tenta se libertar da estrela, mas ainda é preciso destroçá-la.

A explosão de uma supernova tipo II ocorre quando uma estrela de pelo menos oito massas solares esgota o combustível de seu núcleo. Sem energia nuclear para inflá-la, a força gravitacional intensa provoca a implosão do núcleo, produzindo uma onda de choque que remove a camada externa da estrela e finalmente a desintegra, liberando enormes quantidades de energia na forma de raios X. Mas o primeiro sinal de morte da estrela seria, na verdade, o aquecimento de sua superfície à medida que a onda de choque em expansão emite radiação quente na frente dela.

“Os primeiros fótons que podem sinalizar a iminência do colapso do núcleo são os fótons UV”, alerta o astrônomo Kevin Schawinski, da University of Oxford na Inglaterra, responsável por esse estudo. “Essa é uma informação preciosa, porque quando a onda de choque atinge a superfície da estrela, temos pouca informação sobre a estrela remanescente,” acrescenta Kevin, “porque a própria estrela foi destruída.”

Normalmente as supernovas são detectadas como flashes de luz visível, que ocorrem alguns dias antes da explosão, à medida que a radiação esfria. Para se investigar camadas mais internas, é preciso ser criativo — ou ter sorte. Em março passado, astrônomos relataram ter observado uma emissão muito intensa de raios X da supernova SN 2008D quando o telescópio que utilizavam na busca de supernovas estava apontando na direção da galáxia hospedeira da supernova.

1 2 »
Fonte:Original desta notícia pode ser acessada através do site: http://www.gea. org.br/mss. html
 
Céu claro pra todos!
 
José Geraldo Mattos
Moderador
 
O que é inconcebível a respeito do universo é que ele é absolutamente concebível”.(Albert Einstein)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: